Simplicidade da Lei Áurea mostra descaso com os negros, diz promotora

Ao lado do rapper Rincon Sapiência e de Ana Claudia Jaquetto Pereira, representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Lívia defendeu que a falta de profundidade da Lei Áurea mostra como o Brasil tem pouco compromisso em combater a desigualdade racial.

Artigo detalha como leis do século 19 prejudicaram a vida dos negros

A promotora Lívia Santana Vaz, que participou do primeiro encontro da agenda O Mundo que Queremos, detalhou em um artigo como as leis criadas ao longo do século 19 no Brasil foram desmontando a escravidão aos poucos, mas ao mesmo tempo deixaram brechas para manter a prática.

A agenda O Mundo Que Queremos ​tem cinco objetivos principais

1.  Gerar conscientização, por meio de debates, palestras, comunicações em mídias sociais, programas e intercâmbio cultural, sobre a importância da inclusão de direitos humanos como base transversal em políticas públicas e privadas.

2. Promover debate e diálogo entre organizações e minorias de diferentes grupos, para que o discurso e interesses destes grupos possa ser representado de maneira transversal no debate político.

3. Promover ações e programas com impacto positivo contínuo, para além de 2018.

4. Registrar as ações, debates e programas com uma perspectiva nova e participativa da população, para que estes tenham continuidade em próximas gestões públicas.

5. Promover a implementação, na ótica dos direitos humanos, dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, respeitando o conceito mais importante da Agenda 2030: Não deixar ninguém para trás.

Nicholas Githiri / nappy.co
Nicholas Githiri / nappy.co

Acompanhe as novidades

Curta a página no "O Mundo Que Queremos" no Facebook para acompanhar todas a novidades da nossa agenda.