Mostra TRANSdocumenta exibe nove produções sobre o universo LGBTQIA+; veja sinopses

A mostra TRANSdocumenta apresentará nove produções, entre documentários e filmes de ficção, que retratam histórias e questões vividas por pessoas que buscam fazer a travessia de um gênero a outro.

O evento será realizado em São Paulo entre 28 de junho e 9 de julho, com sessões gratuitas, e faz parte da agenda O Mundo que Queremos.

A programação inclui produções brasileiras e estrangeiras, feitas por profissionais da Alemanha, Canadá e Holanda. Abaixo, mais detalhes de cada uma delas.

Cena de “Quarto Camarim” (Divulgação)

Quarto Camarim
O documentário apresenta a busca da diretora por sua tia transexual depois de seis anos sem contato. O roteiro lida as ideias sociais e políticas que envolvem a controvérsia e os preconceitos da transexualidade com uma abordagem artística e familiar.
Direção: Fabrício Ramos e Camele Queiroz (Brasil)101 min., 12 anos
Quando: 29/6, 18h, no Museu da Diversidade Sexual

Meu Nome É Jaque
O documentário apresenta a história de Jacque, mulher transexual que lida com a AIDS há mais de 20 anos. Reflete as questões da transfobia e da exclusão social contra as quais a protagonista luta.
Direção: Angela Zoé (Brasil). 7
2 min, 12 anos
Quando: 30/6, 16h, no Museu da Diversidade Sexual

Estamos todos aqui
Este curta de ficção abrange a questão da transexualidade, além de explorar a realidade dos moradores pobres por meio da personagem Rosa Luz como líder da Favela da Prainha, no litoral sul de São Paulo. O papel de Rosa permite esclarecer os constantes desafios de discriminação sexual sofridos por pessoas LGBTs das periferias do Brasil.
Direção: Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil). 22 min, 12 anos
Quando: 28/6, 19h50 (É necessário se inscrever antes). // 9/7, 16h, ambos no MIS

Meu corpo é político
Vivenciado o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBTs moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos. Além disso, levanta questões sobre a população trans no Brasil e suas disputas políticas.
Direção: Alice Riff (Brasil). 72 min., 12 anos
Quando: 1/7, 13h, na Casa das Rosas

Bicha Preta
Aborda os aspectos socioculturais que auxiliam na marginalização da negritude, especificamente em relação ao indivíduo homossexual e contribui relatando a diversidade de expressões e lutas dentro de um mesmo movimento, trazendo a público nova reflexões e vivências antes nunca documentadas.
Direção: Thiago Rocha (Brasil). 23 min., 12 anos
Quando: 9/7, 18h30, no MIS

Transit Havana
Em Havana, as transexuais Odette, Juani e Malú aguardam cirurgias genitais -realizadas por cirurgiões de primeira linha e organizadas pela filha do presidente, Mariela Castro. Novas possibilidades enfrentam problemas antigos: as pessoas trans cubanas encontrarão felicidade apesar da intolerância, pobreza e prostituição?
Direção: Daniel Abma (Holanda). 86 min., 18 anos
Quando: 1/7, 16h, na Casa das Rosas // 9/7, 14h, no MIS

My prairie home (Meu Lar nas Pradarias)
Neste documentário-musical feito por Chelsea McMullan, a pessoa não-binária de gênero fluído e cantora indie Rae Spoon nos leva em uma viagem lúdica, meditativa e, às vezes, melancólica. Com imagens majestosas das pradarias canadenses, o filme apresenta Spoon cantando sobre seu amadurecimento de gênero e musical.
Direção:  Chelsea McMullan (Canadá). 77 min., classificação indicativa não informada.
Quando: 5/7, 20h, na Casa das Rosas

Last chance (Última Chance)
Este documentário conta a história de cinco pessoas que buscam por asilo e fogem de seus países de origem para escapar da violência LGBTfóbica. Eles enfrentam obstáculos para chegarem até o Canadá, temem a deportação e aguardam ansiosamente uma decisão que irá mudar suas vidas para sempre.
Direção: Paul-Émile d’Entremont (Canadá). 84 min., 14 anos
Quando: 29/6, 16h, no Museu da Diversidade Sexual

Auf der anderen Seite (Do Outro Lado)
Inicialmente, Nejat (um personagem andrógino) não aprova o relacionamento de seu pai com a prostituta Yeter, o que muda quando ele descobre que o pai envia constantemente dinheiro para a Turquia para pagar os estudos da filha dela, Ayten. Nejat cresce apaixonado por Yeter, mas a repentina morte dela faz com que ele se afaste de seu pai. Nejat decide ir a Istambul para procurar Ayten, descobrindo que ela se tornou uma ativista política e está na Alemanha.
Direção: Fatih Akin (Alemanha). 120 min., 12 anos
Quando: 30/6, 18h, no Museu da Diversidade Sexual // 9/7, 17h, no MIS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *